Abertura

Deus estabeleceu o relacionamento entre homem e mulher como uma maneira de ajudar a preservar e enaltecer o relacionamento de ambos com Ele e com cada um.

Todo relacionamento é construído sobre a confiança.
Confiança é a ponte sobre a qual o significado de troca faz sentido.
Quanto mais forte for a ponte, mais peso pode passar por ela.

Você pode ter amor, e você pode ter perdão, mas se você não tem confiança, então terá um relacionamento superficial.

Quando o homem e a mulher estavam nus, isso é mais do que estar sem roupas. Eles confiavam o bastante um no outro para serem abertos e transparentes entre si. Todos nós fomos criados para ser assim, completamente livres e abertos um com os outros, sem nada para ser escondido.
Esse é o objetivo do casamento, duas pessoas que são completamente abertas e livres uma com a outra.
Que o homem e a mulher estavam nus e “não se envergonhavam” explica que eles eram capazes de serem transparentes e confiantes entre si.

Vergonha é uma das forças mais destrutivas no relacionamento porque é a causa de escondermos tudo um do outro.
Relacionamentos que começam e se mantém distante da vergonha tendem a se tornar mais fortes e completos. Então, o verdadeiro amor sempre se dedicará a purificar primeiro, e não a recompensar imediatamente. A vergonha destrói relacionamento entre nós e Deus, nós mesmos, e com os outros.
Vergonha é o resultado do pecado. Ela é causada pelas coisas que fazemos que sabemos que são erradas. Quando pecamos, nos dá vontade de esconder nossos pecados. O Pecado começa a matar a livre expressão do nosso coração, que distorce nossa personalidade e nosso potencial.

Deus nos criou para sermos criaturas sociais, que precisam de amizade com Ele com os outros. A vergonha nos esconde um do outro, e também resulta naquilo que por primeiro Deus disse que não é bom: solidão. O pecado não vale a pena, pelo preço que ele exige.

Como na tragédia de Adão e Eva, muitos precisam experimentar as conseqüências do pecado antes de acreditar nele. De qualquer maneira, se nós vamos escolher fazer o que é certo, determinando que não vamos fazer coisas que tenhamos vontade de esconder, então nós começaremos a experimentar uma grande liberdade que jamais experimentamos. Nós também começaremos a ver uma mudança maravilhosa em nosso relacionamento. Vergonha deveria ser um alerta vermelho para nos avisar de algo que estamos fazendo com errado, como lemos em I João 1:6-7

I João 1:6-7
6 – Se dissermos que temos comunhão com ele, e andarmos em trevas, mentimos, e não praticamos a verdade.
7 – Mas, se andarmos na luz, como ele na luz está, temos comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus Cristo, seu Filho, nos purifica de todo o pecado.

Como é sabido, a palavra grega para comunhão é koinonia. Essa palavra vai além de uma amizade casual. É uma união profunda. A Palavra “purifica” significa mais do que remover as conseqüências dos nossos pecados, mas também remover a vergonha. A comunhão restaurada que deveríamos ter em Cristo deve remover a vergonha que entrou com a queda do homem. Isso nos permite sermos sinceros e doces com os outros. Se andamos na luz Como o SENHOR é luz nós teremos uma comunhão tão profunda e tão real com Ele e com o Seu povo, que não haverá nada a esconder um do outro.
Se dizemos que já temos essa comunhão, mas ainda temos coisas que não podemos trazer à luz, nós estamos mentindo ( veja João 1:6). Se nós temos alguma coisa em nossas vidas que temos medo de ser descoberto, então deveríamos nos livrar delas.

Tudo aquilo que temos medo de trazer À luz é mal, porque só pode sobreviver na escuridão. Por isso mesmo deveríamos nos abster de relacionamentos secretos, clubes secretos ou organizações secretas. Nisso não há luz, mas contém, obviamente, escuridão, senão não seriam secretas.
É claro que em caso de perseguição pode-se abrir uma exceção a isso, assim como há lugares em que os cristãos tem que se reunir em segredo para preservar sua segurança. De qualquer maneira, há uma grande diferença em sociedades que são secretas entre aquelas que são forçadas a serem secretas por causa de perseguição.

Nós deveríamos inspirar tanta confiança e verdade que as pessoas deveriam se sentir a vontade para se abrirem conosco. Algumas vezes o amor requer discrição, e o “amor cobre multidão de pecados” (I Pedro 4:8). Sobretudo, como lemos em I João 2:28 “E agora, ó filhinhos, permanecei nEle; para que, quando Ele for manifesto, tenhamos confiança e não sejamos envergonhados para longe dEle, na Sua vinda;”

Rick Joyner
Texto Original:
http://www.morningstarministries.org/resources/daily-devotional/2006/day-25-openness

Tradução: Victor Souza

Árvore da Vida

O ser humano, antes mesmo da queda de Adão e Eva é tentado a pensar que não pode morrer! (Gênesis 3:4).

Deus é muito claro, a natureza é muito clara! A morte não mede classe social, idade, status, riquezas, fama, etc, ela atinge a todos!

Por não pensar tanto na morte, todo ser humano vive como se fosse passar para sempre o tempo de sua vida sobre essa terra.
Estuda, trabalha, se esforça e faz tudo o que está ao seu alcance para “viver” o melhor dessa terra sem se preocupar com o fato de que um dia terá que deixar tudo isso para trás!

A bíblia é clara em dizer que é sábio considerar a morte:

Eclesiastes 7:2
2 – Melhor é ir à casa onde há luto do que ir à casa onde há banquete, porque naquela está o fim de todos os homens, e os vivos o aplicam ao seu coração.
Eclesiastes 7:4
4 – O coração dos sábios está na casa do luto, mas o coração dos tolos na casa da alegria.

Pensar na morte não é uma questão de opção ou de morbidez, mas é uma questão de sabedoria.

O que garantia a vida eterna ao homem antes da queda era ele comer da Árvore da Vida que estava junto ao jardim do Éden

Gênesis 3:22-24
22 – Então disse o SENHOR Deus: Eis que o homem é como um de nós, sabendo o bem e o mal; ora, para que não estenda a sua mão, e tome também da árvore da vida, e coma e viva eternamente,
23 – O SENHOR Deus, pois, o lançou fora do jardim do Éden, para lavrar a terra de que fora tomado.
24 – E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o caminho da árvore da vida.

Deus é misericordioso, ao afastar o homem temporariamente da árvore da vida Ele o estava livrando de carregar eternamente a essência do pecado, do mal! Ainda que houvesse, e ainda há, o bem no ser humano, o lado mal desqualifica o ser humano inteiro, como uma pequena mosca em um vaso de perfume!

Por isso, o homem precisa experimentar a morte. Não adianta fugir, ainda que Enoch e Elias não tenham experimentado a morte física, por terem sido arrebatados, assim como a Igreja pura, santa e imaculada que será arrebatada, há a experiência da morte para o mundo!

Sobre Enoch ninguém sabe muita coisa, mas sobre Elias, todos sabem que ele morreu para o mundo! Viveu aqui na terra debaixo de perseguição intensa e cansativa! Não era digno deste mundo!

Não caia na tentação da serpente sobre Eva!:

Gênesis 3:4
4 – Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis.

É mentira!!!

O caminho para a árvore da vida foi guardado por Querubins e por uma espada inflamada que andava ao redor para guardar o CAMINHO da Árvore da vida!

Gênesis 3:24
24 – E havendo lançado fora o homem, pôs querubins ao oriente do jardim do Éden, e uma espada inflamada que andava ao redor, para guardar o CAMINHO da árvore da vida. (destaques nossos)

Ora! Ainda hoje, mesmo que todos nós estejamos sujeitos a esse corpo de morte, temos livre acesso à árvore da vida, pelo novo e vivo caminho! O corpo de Jesus foi rasgado na cruz para nos dar esse livre acesso!

Hebreus 10:16-20
16 – Esta é a aliança que farei com eles Depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei as minhas leis em seus corações, E as escreverei em seus entendimentos; acrescenta:
17 – E jamais me lembrarei de seus pecados e de suas iniqüidades.
18 – Ora, onde há remissão destes, não há mais oblação pelo pecado.
19 – Tendo, pois, irmãos, ousadia para entrar no santuário, pelo sangue de Jesus,
20 – Pelo NOVO e VIVO CAMINHO que ele nos consagrou, pelo véu, isto é, pela sua carne.
João 14:6
6 – Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.

Aleluia!!! A morte desse corpo de humilhação é certa! Mas a ressurreição em corpo de Glória para os que creram em Jesus, o caminho, a verdade e a vida, é tão certa como a morte do corpo natural!

Cânticos 8:6
6 – Põe-me como selo sobre o teu coração, como selo sobre o teu braço, porque o amor é forte como a morte, e duro como a sepultura o ciúme; as suas brasas são brasas de fogo, com veementes labaredas.
I Corintios 15:26
26 – Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte.
I Corintios 15:37
37 – E, quando semeias, não semeias o corpo que há de nascer, mas o simples grão, como de trigo, ou de outra qualquer semente.
I Corintios 15:40
40 – E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres.
I Corintios 15:42-44
42 – Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção.
43 – Semeia-se em ignomínia, ressuscitará em glória. Semeia-se em fraqueza, ressuscitará com vigor.
44 – Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual.
I Corintios 15:49
49 – E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial.
I Corintios 15:53-58
53 – Porque convém que isto que é corruptível se revista da incorruptibilidade, e que isto que é mortal se revista da imortalidade.
54 – E, quando isto que é corruptível se revestir da incorruptibilidade, e isto que é mortal se revestir da imortalidade, então cumprir-se-á a palavra que está escrita: Tragada foi a morte na vitória.
55 – Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitória?
56 – Ora, o aguilhão da morte é o pecado, e a força do pecado é a lei.
57 – Mas graças a Deus que nos dá a vitória por nosso SENHOR Jesus Cristo.
58 – Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.

Apocalipse 22:1-5
1 – E MOSTROU-ME o rio puro da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.
2 – No meio da sua praça, e de um e de outro lado do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês; e as folhas da árvore são para a saúde das nações.
3 – E ali nunca mais haverá maldição contra alguém; e nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os seus servos o servirão.
4 – E verão o seu rosto, e nas suas testas estará o seu nome.
5 – E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina; e reinarão para todo o sempre.

por Victor Souza

Sete Muralhas

As sete muralhas de Jericó. Texto Base: Lucas 19: 1-10

As sete barreiras de Zaqueu:

1. Corrupção: Chefe dos Publicanos e Rico (Lucas 19:2)

2. Estatura: Baixinho (Lucas 19:3)

3. Ambiente: Sicômaro Bravo, cheio de espinhos (Lucas 19:4) Será que vale a pena subir em um árvore cheia de espinhos só para ver Jesus passar?

4. Orgulho: Jesus dá ordem a Zaqueu que está acostumado a dar ordens (Lucas 19:5). Devemos descer do salto, da posição alta, altiva. Zaqueu desceu e recebeu Jesus alegremente, sem se importar com a ordenança de Cristo de descer.

5 . Acusação: Lucas 19:7 (O Diabo gosta de usar a boca de quem a empresta a boca pra ele usar). Quando alguém se converte gera murmuração na família, no trabalho, etc.

6. Consciência: Lucas 19:8 Zaqueu devolveu quadriplicado o que devia, sua consciência estava ficando limpa. Zaqueu fez para o diabo uma vez (roubar) e fez para Jesus quatro vezes mais (devolver).

7. Natureza Humana (Velho Homem): Lucas 19:9 Zaqueu recebeu a salvação, revestiu-se do novo homem da nova natureza em Cristo.

Reflexão extraída da pregação do Pr. Yossef Akiva em http://www.youtube.com/watch?v=iO9bhUvY3ao

Falar menos. Viver mais!

Falar menos. Viver Mais.

Exemplos de Falar menos e Viver mais:

Falar menos: “Vou orar por você”
Viver Mais: Identificou um motivo de oração? Ore imediatamente! Comece a orar em espírito, fazendo a vossa súplica diante de Deus pai!

Falar menos: Para os outros o que você está fazendo
Viver mais: A consciência de que a única pessoa que precisa saber tudo o que você faz e pensa é Deus, e é para Ele que você deve contar seu dia, a roupa que você ta vestindo, a comida que ta comendo, a paisagem bonita que você ta vendo que foi Ele quem te deu! Aleluia!

Aprendendo a Ver

Discípulos do Reino dos Céus – A Grande Comissão

 

Alguns tornam-se discípulos de outros homens, alguns tornam-se discípulos de um certo movimento, denominação, ou ênfase doutrinária.

No versículo que estávamos estudando sobre os escribas que se tornam discípulos, Jesus especificou que estes se tornariam discípulos do “reino dos céus” (Mateus 13:52). Ele estava enfatizando que eles não eram discípulos de pessoas na terra, ou das coisas terrenas, mas do Seu reino celestial.

 

O Apóstolo Paulo é um bom exemplo de um discípulo do reino dos céus. Ele era um dos homens mais sábios de sua época. Ele tinha sido discípulo de um dos professores mais respeitados de Israel, Gamaliel. Ele pertencia a uma elite intelectual.

 

Por um tempo, isso o levou a um conflito direto com o Deus que ele pensava estar servindo e a ser um veemente perseguidor da Sua verdade. Ser discípulo de homens ou de uma seita específica vai levar você a isso.

Então,  pela mais famosa e dramática de todas as conversões, Paulo torna-se um dos candidatos mais fortes para o evangelho que ele tinha recentemente tentado destruir.

Como isso aconteceu?

Claro, o Senhor apareceu a Paulo na estrada de Damasco, o que não vai acontecer com todos. Mesmo assim, há um aspecto da conversão de Paulo, que deve acontecer a todo aquele que se tornar um discípulo do reino dos céus- Paulo teve de se tornar cego no natural para que ele pudesse ver espiritualmente.

 

Esta não é uma declaração contra o aprendizado ou aprender a partir de uma perspectiva natural. Alguns dos ensinamentos anteriores de  Paulo, mesmo em filosofia e outras disciplinas, mais tarde, ajudou-o a entender e promover o evangelho.

No entanto, ele primeiro tinha que aprender a ver as coisas naturais através dos olhos espirituais, ao invés de ver as coisas espirituais com os olhos naturais.

Esta é a chave para ser um discípulo do reino dos céus.

  Vendo o natural através dos olhos espirituais ao invés de tentar ver o espiritual através dos olhos naturais é crucial, como lemos em I Coríntios 2:14-15:

Mas o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura, e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente.

Mas o que é espiritual discerne bem tudo, enquanto ele próprio não é discernido por ninguém.

 

Um dos blocos primários para qualquer cristão crescer em Cristo é este fator. Poucos, entenderam realmente a necessidade do tipo de transformação que Paulo experimentou para que ele pudesse ver a partir da perspectiva do reino dos céus, e não a partir de, um ponto de vista natural, terrestre. Então, como vamos conseguir essa transformação?

Foi preciso que Deus fizesse Paulo cair do cavalo para romper o que estava verdadeiramente cegando-o. É preciso que Deus faça isso com todos nós, mas ele não precisa ser de uma forma tão dramática como a experiência de Paulo para obter o resultado final.

Talvez seja a melhor maneira  para fazer isso, mas a essência é que é melhor que se humilhem em vez de ter o Senhor a humilhá-los.

Dizem-nos que nós podemos julgar a nós mesmos e o Senhor não terá que fazê-lo.

Paulo não teve a visão espiritual imediatamente depois que ele recebeu a sua visão natural de volta.

Por seu próprio testemunho, sabemos que ele foi embora para o deserto por entre onze e quatorze anos (Gl 1:17-23). Em seguida, depois que ele foi chamado para o ministério apostólico, a transformação continuou.

Podemos ver uma grande e contínua mudança nele sobre a extensão de seu ministério.

Este será provavelmente um processo ao longo da vida para todos, e é por isso que devemos permanecer discípulos do reino dos céus toda a nossa vida.

Paulo, que era tão rico em conhecimento natural e formação, pode ter tomado um choque maior e disciplina mais severa do que outros para passar por essa transformação.

Alguns parecem ter uma tendência muito mais “natural” para ser espiritual e adaptar-se a ver a partir de uma perspectiva espiritual.

O ponto principal aqui é que devemos ter esta transformação, e atualmente muito poucos a buscam.

É por isso que devemos nos tornar “discípulos do reino dos céus”, e não discípulos terrenos.

 

Rick Joyner

 

http://www.morningstarministries.org/resources/word-week/2013/disciples-kingdom-heaven-great-commission-part-22?utm_source=The+MorningStar+Ministries+eNewsletter&utm_campaign=787e7c882c-eNewsletter_May_28_2013&utm_medium=email&utm_term=0_38a2ee5121-787e7c882c-242391981

Saneamento

Todos os dias quando acordamos, nós, ao menos, os mais higiênicos,  escovamos os dentes, lavamos o rosto, tomamos banho, trocamos de roupa, depois tomamos outro banho, passamos desodorante, perfume e por aí vai.

Mantemos em certa periodicidade também o fazer a barba, as mulheres a depilação, o corte de cabelo, o corte de unhas, etc.

Ora, se Deus o criador, nos criou a sua imagem e semelhança, me questiono se Adão e Eva manteriam essa preocupação cotidiana no estado original sem pecado.

Creio que não, primeiramente, porque estavam nus, então nem se poderia falar de trocar de roupa. Ademais, o banho deveria ser uma atividade apenas de lazer, pois os corpos eram perfeitos, eternos, e tanto assim, que mesmo depois da queda Adão ainda viveu mais de 900 (novecentos) anos.

Como toda realidade existente no mundo físico reflete uma realidade no mundo espiritual. Creio, que, pelo estado espiritual anterior à queda eles não precisavam realizar todas as atividades acima listadas.

 Após a queda, o mundo físico passa a externar a realidade espiritual do homem caído: SUJEIRA!

 

O ser humano passa a  ser sujo, e a necessitar constantemente de lavar-se, e a própria bíblia é clara quanto a isso (levítico 15:13-18) e então nossas atividades físicas cotidianas passam a refletir a realidade do mundo espiritual.

 De forma que, o ser humano é imundo e contaminado pelo pecado, devendo lavar-se constantemente no sangue puro de Cristo, que nos lava e nos torna mais alvos do que a neve.

 A lavagem de nosso corpo, alma e espírito pelo sangue de Cristo ocorre mediante a confissão de nossos pecados a Ele, diariamente, de minuto a minuto. Pecou, confessou, se arrependeu de coração, e Ele nos lava.

 Ocorre que muitos cristãos após se converterem, de terem experimentado a tremenda lavagem e purificação do Sangue de Jesus que nos faz mais alvos do que a neve, que nos perfuma com o bom perfume de Cristo, que nos coloca vestes novas de louvor e santidade, param por aí.

 É como se não fosse necessário todo dia beber água, quanto mais da água da vida, todo dia comer pão, quanto mais do pão eterno. A lavagem e purificação também.

 Certamente que a lavagem com o sangue de Cristo não possui prazo de validade, mas os nossos próprios atos, nossos próprios pecados, nos mancham.

 

A verdade é:

 I João 1:8

8 – Se dissermos que não temos pecado, enganamo-nos a nós mesmos, e não há verdade em nós.

 Entretanto:

 I João 1:9

9 – Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.

 

Experimente ficar um dia sem tomar banho, eu sei, muitos de nós já ficamos, não é a sensação mais agradável, alguns por estarem distante de casa, outros, por incrível que pareça( já aconteceu comigo), por preguiça mesmo. É até vergonhoso admitir que já deixei de tomar banho por um dia, por pura preguiça, que me veio pela desocupação em um período da minha vida que cometi essa falta de atitude vergonhosa.

 Enfim, o que quero dizer, é que precisamos nos lavar diariamente, é certo que pecamos todos os dias, por isso, todos os dias também devemos nos arrepender de nossos pecados.

 Alguns possuem preguiça espiritual, as vezes por ociosidade espiritual, é a pessoa que não gasta mais tempo lendo a bíblia, orando, meditando na palavra de Deus e em Seus grandes feitos.

Quando estamos no meio do exercício espiritual, todo o suor, toda a sujeira é expelida, vem à tona da luz de Cristo, e não nos fica oculto, viabilizando-nos tomar uma atitude diante da realidade da sujeira espiritual que passamos a ter consciência que existe em nós, qual seja, CONFESSAR e DEIXAR! (Lembra de 1 João 1:9 ?) Se confessarmos e deixarmos (o pecado) Ele (Cristo) é fiel e justo para nos perdoar E nos(??? Tchananan) PURIFICAR!!! Aleluia! Glória a Deus!!!

 Se um dia sem tomar banho, escovar os dentes, colocar uma roupa nova, passar desodorante é muito ruim, imagine sua vida espiritual. Há quanto tempo faz que você não tem se mexido espiritualmente: Lido a bíblia, orado, confessado seus pecados, pedido perdão a Deus?

 Não se acostume com a sujeira, se você passar muito tempo sem praticar as atitudes básicas de higiene você acaba se acostumando com a condição fétida, asquerosa da podridão. E há tantos há tanto tempo nessa condição que nem conseguem mais perceber que estão podres de sujo. Cuidado!  

Purifique-se no Rio de Água Viva.

Tire a roupa suja, cheia de podridão e mal cheiro, e vista novas vestes de louvor e santidade e passe a exalar o bom perfume de Cristo!

Todos os dias, tão natural quanto tomar banho, escovar dentes, trocar de roupa e escovar os dentes!

 Confesse seus pecados e deixe-os. Se tá difícil deixar, não desista! Todo aquele que cai se levanta! Mas não é pra cair e pedir perdão no chão, não! É pra se levantar, e se cair, ter coragem para confessar a queda, pedir perdão e se levantar novamente até estar bem firmado nos passo de santidade naquela área que tem mais dificuldade, mais pecado. 

Sim, porque é onde estamos mais sujos que devemos nos purificar mais a ponto de exalar o bom perfume de Cristo! Aleluia!

Eu sei que você quer ficar bem com Deus, nós estamos aqui para nos ajudar um ao outro, fortalecer, orar um pelo outro, não desista! 

Saiba no entanto que o único que pode te limpar nessa jornada, é Jesus Cristo:

Isaías 1:18

18 – Vinde então, e argüi-me, diz o SENHOR: ainda que os vossos pecados sejam como a escarlata, eles se tornarão brancos como a neve; ainda que sejam vermelhos como o carmesim, se tornarão como a branca lã.

 Bom banho!

Sorvete Grátis

Normalmente os incrédulos dizem que Deus é mal por permitir que o ser humano vá ao inferno, mas não é não.

A gratidão, como a raiz do nome indica é um sentimento que vem de graça. É reconhecer que existe favores que jamais você poderia obter por si próprio.

Entretanto, ninguém pode ser obrigado a sentir gratidão, ainda que tenha recebido muitos benefícios de graça.

Graça é favor imerecido. Vejamos: Quantos aqui acreditam que devem ter um sentimento de gratidão pelo rapaz da sorveteria que lhe serviu o sorvete que foi comprado? Se você sente gratidão por isso, tudo bem, mas o ato que ele praticou não foi gratuito, foi pago, não fez mais do que a obrigação e você não deve nada a ele, e desde que o tenha servido, ele também não deve nada a você. Mas, suponhamos que você tem dois filhos e está com dinheiro para comprar apenas um sorvete e o sorveteiro ao perceber isso, e sem você pedir, resolve lhe dar gratuitamente um outro sorvete para a outra criança, me diga, você, provavelmente ao receber aquele presente poderá desenvolver um reconhecimento pelo favor oferecido de graça pelo sorveteiro? Sim? Se sim, você provavelmente irá agradecer-lhe com a boca e com o coração.

A graça é algo que nos surpreende, nos toma de surpresa sempre e achamos sempre bom e não sabemos e não podemos retribuir para a pessoa a não ser com o reconhecimento e com a gratidão verdadeira gerada no coração e confessada com os lábios àquele que age com gratuidade para conosco.

Do mesmo modo, pergunto-lhe: diga-me, quanto você pagou para ter visão? Quanto pagou para ter uma mente inteligente, capaz de ler e compreender o que está escrito aqui? Quanto pagou para usar a mão que movimenta a barra de rolagem da tela do computador? Quanto? Um milhão de reais pela vista? 500 mil pela inteligência? 300 mil pela mão e pela coordenação motora? e pela vida? Você não pagou NADA! Mas saiba disso: Alguém pagou! E esse alguém é JESUS CRISTO! Filho de Deus que se entregou à morte na Cruz em quem nos movemos e existimos pois ele mesmo é quem dá a todos a vida, e a respiração, e todas as coisas.(Atos 17:25)

Saiba, no entanto, que a graça da existência e que sustenta o universo tem um prazo para ser oferecida. É como o sorvete, se você não aceitar o sorvete grátis, tudo bem, o sorveteiro pode até ficar com a mão estendida esperando até você aceita-lo de graça ou não, mas uma hora o sorvete vai derreter e ainda que você queira recebe-lo será tarde demais!

Portanto meu amigo: a mão de Cristo está estendida para te salvar.

Para receber essa salvação é preciso aceita-la!

Ninguém pode ser obrigado a receber nada de Graça, nem a salvação de Cristo! Mas saiba também, que uma hora o sorvete derrete, uma hora essa vida aqui na terra acaba, e a porta que antes estava aberta se fecha e nunca mais comerás daquele sorvete, ou nunca mais experimentarás do dom gratuito da vida, da vista, do ar, da alegria, da inteligência, da ciência, de tudo, pois os que perecerem sem aceitar a graça de Cristo perecerão na eternidade de escuridão, podridão, secura, solidão, desespero e o mais completo terror que não se pode imaginar nem na melhor produção de Hollywood.

A existência é eterna, porque a alma e o espírito do homem é imortal, pois foi o próprio Deus quem soprou o fôlego da vida no homem, e sendo, portanto, essência de Deus, é eterno. E só há duas opções de eternidade: inferno eterno ou paraíso eterno ao lado de Deus.

A vida gratuita que recebemos de Deus, só poderemos preservar se recebermos de Graça a Salvação de Cristo Jesus para redenção de nossos pecados pela aceitação no nosso coração de seu sacrifício na Cruz em nosso lugar e pela confissão de nossos lábios de que Jesus Cristo é o nosso Salvador e Senhor e que vive por toda a eternidade e nos dará a vida eterna ao seu lado e ao lado de Deus Pai todo poderoso!

Governo

Em uma hierarquia estadual o servidor público de maior categoria é o Governador.

É de se supor que quanto maior o posto maior o serviço.

É claro.

Administrar os bens do povo (públicos) que lhe são confiados para redistribuir-lhe igualmente e em equidade para servir a todos não é tarefa fácil, mas é nobre.

“Sabemos que somos de Deus, e que o mundo todo jaz no maligno.” (I João 5:19)

É certo que o conceito de governador acima exposto, no mundo (que jaz no maligno) pode ser considerado sinônimo de utopia, mas no céu é sentença de verdade.

Jesus Cristo, Rei dos Reis e Senhor dos Senhores veio a este mundo para governar os bens que o Pai lhe havia entregue.

Em Cristo temos a realização completa e nobre do exemplo de GOVERNADOR, aquele que SERVE com todos os bens que lhe são administrados, inclusive com a própria VIDA!

É assim que somos chamados a ser! GOVERNADORES! SIM! SERVIÇAIS! SERVIÇAIS DO REINO DE DEUS!

Mateus 20:26-28
26 – Não será assim entre vós; mas todo aquele que quiser entre vós fazer-se grande seja vosso serviçal;
27 – E, qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, seja vosso servo;
28 – Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.

Para ilustrar melhor isso pensemos em um reino onde o Rei é justo e os príncipes são nobres em todas as suas atitudes. Ora, se um príncipe, filho de um rei justo, ao caminhar pelo povo, avista um homem com frio com pouca roupa, sendo nobre, é capaz de tirar as próprias vestes reais para cobrir aquele necessitado.

Ocorre, que Jesus Cristo, filho de Deus, tirou não somente as vestes reais, mas a própria vida em favor de todos! Ainda que nem todos aceitaram o favor do Rei!

Vejam, pela ilustração citada acima, que a realidade do REINO DE DEUS está muito próxima de nós. Quantas oportunidades, como filhos de Deus, como “(…) a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, (…)(I Pedro 2:9) nós temos para demonstrar toda a realeza dos céus?;

Nós temos muitas oportunidades! 24hs! Não somente de dar uma veste para um mendigo, ou uma sopa, ou qualquer desses atos. Não! Isso também, porém mais do que isso: Dar nosso tempo! Você pode fazer isso agora! Aí mesmo de onde está lendo! Sim! Feche os olhos, comece a orar a interceder ao Rei dos Reis pela causa daquela pessoa que está sendo injustiçada e até mesmo por aquele governante que não está cooperando como devia para o Reino de Deus! Sim!

Um sacerdote real não deve falar mal dos colegas de trabalho, não deve espalhar fofocas, não deve se irar por qualquer motivo, não pode odiar, mas deve interceder, não deve julgar antes do tempo:

[Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que o Senhor venha, o qual também trará à luz as coisas ocultas das trevas, e manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá de Deus o louvor.(I Corintios 4:5)]

Sim, haverá um tempo de julgamento, mas enquanto ele não chega, a mente do príncipe e a vontade dele deve ser semelhante à do Rei. Sim, pois se o próprio Rei ainda dá graça e oferece misericórdia, que seria o príncipe para julgar antes do tempo? (2ª vinda de Cristo)

Pequenas atitudes fazem a diferença no Reino dos Céus, porque é nos detalhes que se revela a grandeza de Deus, e a nobreza daqueles que se chamam filhos de Deus!

Portanto, aprendei a reinar com Cristo! Sede nobre em todos os teus gestos, GOVERNE os recursos que o Rei dos reis te deu, ore, interceda, doe, coopere, ajude, etc., mas sobretudo AME!

Governar é servir, e servir é amar! Ame e reinarás!

Vem aqui comigo para o Éden

“Vem aqui comigo para o Éden” ressoou a voz de Deus me chamando para entrar.
Para entrar, basta deixar o pecado do lado de fora. O Senhor Jesus já pagou o preço para quem quiser livrar-se dos pecados e ele mandará os seus pecados diretamente para o inferno, sem mandá-lo para lá, pois Ele mesmo foi até lá depositar todos os pecados da humanidade.
E, basta a você escolher morrer com os vossos delitos e pecados, ou se arrepender deles, acreditar em Jesus e lançar sobre Ele todas as suas iniqüidades, pedindo perdão por elas e substituição por seu sangue.
Deixemos portanto nosso pecado na Cruz de Cristo, e entremos no Jardim do Éden prometido para toda a humanidade. Despojemos toda nossa rebeldia contra Cristo e sigamos para o Céu com Ele.

“Mas, como está escrito: As coisas que o olho não viu, e o ouvido não ouviu, E não subiram ao coração do homem, São as que Deus preparou para os que o amam.” (I Corintios 2:9)

Victor Souza

Faraó é um tipo de Satanás

Faraó é um tipo de Satanás, o governador da presente época, e o Egito é um tipo do mundo presente. Sabemos da resistência de Faraó a Moisés, quando ele exigiu que o povo do Senhor fosse liberto. Este foi pré-ordenado por Deus para pôr seu povo em liberdade,não com a permissão do Faraó, mas pelo poder de Deus.

Através de toda a resistência, e as tentativas de Faraó de fazer Moisés desistir do chamado de Deus, Moisés permaneceu firme, declarando “nenhuma unha ” que pertencia a Israel seria deixada para trás no Egito. Devemos fazer o mesmo, se queremos ser livres.

Podemos ver no livro de Apocalipse como pragas parecidas estão para vir sobre a terra com o mesmo propósito nos últimos tempos: para tornar o povo do Senhor livre, bem como o resto da criação. Assim como as pragas que vieram sobre o Egito destruiu os deuses do Egito, as pragas que vêm ao mundo irão destruir os deuses que os homens têm feito e, finalmente, libertar os homens.

Houve uma praga final que veio sobre o Egito, que finalmente e completamente libertou o povo do Senhor do Egito- a Páscoa. Em I Coríntios 5:07 lemos: “… porque Cristo, nossa Páscoa, foi sacrificado também.” A Páscoa era um modelo bíblico do sacrifício de Jesus que nos liberta da escravidão do mundo. Vejamos algumas das maneiras que nos dá um modelo poderoso do que o Senhor Jesus fez por nós para nos libertar. Estes versículos são tomados a partir de Êxodo 12 (você pode querer ler este capítulo antes de continuar). Vamos começar com os versículos 1-2:

Ora, o Senhor disse a Moisés e a Arão na terra do Egito,
“Este mês será o primeiro mês para vocês; que será o primeiro mês do ano para vocês.”

O Senhor mudou o calendário hebraico inteiro de modo que a Páscoa seria o início de seu ano. Este foi para representar o novo começo que temos quando tomamos o sacrifício de Jesus na cruz. Como lemos em II Coríntios 5:17:

Portanto, se alguém está em Cristo, é nova criatura;
as coisas velhas já passaram, eis que tudo se fez novo

Na noite que Israel participou da Páscoa, todo o mundo por eles até então conhecido estava para mudar. Eles deveriam deixar o lugar que tinham conhecido a vida inteira para nunca mais vê-lo novamente. Eles estavam indo para uma viagem por lugares que eles nunca tinham visto antes. Quando eles tomaram a Páscoa, o seu mundo inteiro mudou!

Quando participamos de Cristo, nós somos tão radicalmente mudados que a única maneira de descrever essa mudança é dizer que “nascemos de novo”. Começamos tudo de novo. Todas as coisas tornam-se novas para nós em uma transformação sobrenatural.

No entanto, há uma diferença básica entre o que aconteceu com Israel e que acontece quando nos tornamos cristãos. Israel mudou de ambiente, mas quando nós participamos de Cristo nós mudamos.

Israel foi levado para fora do Egito, mas na Nova Aliança, o Egito é tirado de nós, nos tornamos novos. O mundo em que estamos pode ser o mesmo, mas os olhos que o vêem são diferentes.

Esta é uma das mais preciosas verdades cristãs. Em Cristo temos um novo começo . Ele limpa todos os nossos fracassos passados . Não há outra religião ou filosofia no mundo que tenha tanta graça e poder para transformar seres humanos . Mesmo assim, quando nascemos de novo, não é o fim do assunto, ao contrário, é o começo. Devemos crescer em maturidade espiritual tendo nossas mentes transformadas.

É um processo, mas que não seria possível tal transformação sem a regeneração inicial pelo Espírito Santo que vem quando nós abraçamos a cruz. Nós somos perdoados! Nós somos novas criaturas em Cristo!

Que nós somos chamados de “novas criaturas” em Cristo, na verdade, significa que somos uma espécie nova. Isso é algo que temos de entender, mas parece que poucos cristãos conseguem. Aqueles que nasceram de novo pelo Espírito de Deus já não são apenas seres humanos. Antes da cruz, os homens andavam com Deus, mas debaixo da Nova Aliança de Deus ELE vive em nós. É por isso que Jesus disse em João 16:07:

“Mas eu vos digo a verdade, é necessário que eu vá;
pois se eu não for, o Consolador não virá a vós;
mas se eu for, eu vo-lo enviarei. ”

Pense nisso. O que poderia ser melhor do que andar com Jesus, no mesmo caminho que seus discípulos fizeram? Mas Ele disse que seria melhor para eles que Ele fosse embora para que o Consolador, o Espírito, pudesse vir!

Ainda melhor do que andar com Deus é ter o Deus vivo dentro de nós! Agora não vamos ao seu templo, somos Seu templo. Nossa busca nesta vida é viver na realidade da maior das verdades cristãS, Deus criou o homem a Sua morada.

O objetivo da nova criação não é apenas para ser restaurado para o estado sem pecado que Adão desfrutava antes da Queda. Esse é o ponto de partida. Nosso pecado é removido na cruz de Jesus. Isso não é algo que podemos fazer, mas podemos permanecer nEle, em quem não há pecado.

Nós não estamos tentando nos fazer perfeito, estamos tentando mais perfeitamente permanecer n’Aquele que habita em nós . Nós não olhamos para nós mesmos para nosso poder ou nossa bondade, mas temos de olhar para Ele.

Podemos tropeçar e nos levantar de volta, mas temos que manter o nosso foco no objetivo final da nossa vocação, o que vemos em Efésios 4:15:

Antes, seguindo a verdade em amor, cresçamos em tudo naquele que é a cabeça, Cristo.

Você foi chamado para crescer em todos os aspectos em Cristo. Você é chamado para ser como Ele e fazer as obras que Ele fez. Este é o nosso caminho, a nossa missão, e nós nunca devemos nos contentar com uma visão menor.

Autor:Rick Joyner
Tradução: Victor Souza

Original Disponível em:

http://www.morningstarministries.org/resources/daily-devotional/2006/day-104-freedom